O Fim da História | Pátria Educadora – Capítulo 1

Para entendermos o motivo de chegarmos às últimas posições em todos os rankings educacionais internacionais, é necessário darmos um passo para trás. Nesta jornada pela educação, trazemos conceitos, análises e denúncias sobre as diferentes ideologias e personagens que pensaram o sistema de ensino brasileiro.

Pátria Educadora é uma trilogia sobre a educação no Brasil. Para entender a situação atual do ensino no país, é preciso voltar no tempo e descobrir o que é educação, onde ela começa de forma institucional e como a educação se tornou compulsória. Hoje, nota-se doutrinação marxista em sala de aula, professores militantes, drogas nas escolas e universidades e pouco aprendizado real. O Brasil possui um dos piores níveis de aprendizado na educação básica. O sistema educacional não está mais vinculado ao aprendizado como os gregos o entendiam. Com os primeiros filósofos, na Grécia, tinha-se uma educação que significa a jornada da vida interior para descobrir a realidade ao redor. Para eles, educar-se é herdar o conhecimento da humanidade e levá-lo adiante. É fundamental que a educação ensine a verdade, conduza à verdade e ensine a pesquisar a verdade. Essa é a educação liberal, visando a liberdade humana. Mas existem também outras correntes, como a educação que se vê na Renascença, o humanismo, a escola positivista, o cientificismo, as influências de Hegel e Marx e a influência da revolução industrial inglesa na educação. Não se usa mais o trivium e o quadrivium, sistema de ensino que formou a civilização ocidental por mais de um milênio. O método que prevalece no Brasil é o de Paulo Freire e a reclamação que mais se ouve é que falta investimento no sistema de ensino. Para entender o que de fato é educação e o que está acontecendo com ela no Brasil, assista ao primeiro episódio de Pátria Educadora.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.