Dragão de Komodo

O Dragão-de-komodo (Varanus komodoensis) é o maior membro vivo da família dos lagartos. Eles são predadores temíveis habitantes de ilhas isoladas.

Segundo a União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN), apenas 5.000 espécimes da espécie existem na natureza e são considerados vulneráveis à extinção.

Desconhecidos pela ciência ocidental até 1912, os dragões Komodo vivem apenas em algumas pequenas ilhas no arquipélago indonésio, embora seus parentes próximos, como os lagartos-monitores, sejam encontrados em outros lugares do planeta.

Embora grandes, ele pode se mover rapidamente, sendo capaz de caçar humanos, porcos, cervos e cabras. Através de suas mandíbulas e garras, eles podem matar a maioria das presas rapidamente.

Características

Comprimento: até 3,5 metros
Peso: até 110 quilos
Cor: cinza e marrom
Tempo de vida: 50 anos
Garras: Cinco garras em cada pata
Tamanho: Até 125 kilograns, 3,1 metros.
Localização: Komodo, Rinca e duas outras ilhas menores na Indonésia.
Dieta: Suínos, caprinos, veados, búfalos, cavalos, pequenos dragões e humanos.
Reprodução: Ovíparos, postura de 15 a 40 ovos.

Para reprodução, as fêmeas fazem buracos no solo, onde depositam entre 24 e 30 ovos, que eclodem cerca de 40 dias após a postura. Muitos dos dragões que nascerão nunca chegarão à idade adulta, sendo devorados por elementos de sua própria espécie.

Os machos são maiores que as fêmeas e ambos têm um corpo robusto e forte, uma cauda longa e pernas curtas, com cinco garras poderosas em cada um. Eles estão aptos a rasgar a carne de suas vítimas. A boca está equipada com dentes de 2 cm de comprimento, pontiagudos, serrilhados e voltados para trás.

Curiosidade

Enquanto o dragão mitológico respira fogo, o komodo produz, dentro de sua boca, uma baba com uma enorme variedade e quantidade de bactérias, tais como Staphylococcus sp, Providencia sp, Proteus sp e Pseudomonas sp, que o transformam em um “caldo bacteriano” extremamente venenoso.

Este incrível gigante é um predador notável. Ele não mata instantaneamente sua presa, ou seja, ele morde primeiro, e a infecção causada por sua mordida acabará matando o animal ou mesmo um ser humano, após alguns dias.

Então, quando cheira a carne podre, o dragão pode pegar o cheiro a até 7 km de distância! Ele vai ao lugar para ter seu banquete.

Acontece também que vários dragões chegam à mesma presa e ao mesmo tempo, assim a refeição é compartilhada, de forma hierárquica, mas sempre com algumas brigas entre eles.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.