Nubank agora na Bolsa de Valores supera o Itaú em valor de mercado

Há três dias atrás, em 9 de dezembro de 2021, o Nubank passa a estar oficialmente na Bolsa de Valores, sendo um dos maiores IPOs da história em número de investidores, bem como o maior do Brasil em investidores de varejo. Agora, listada na Bolsa de Nova York (NYSE) e na Bolsa brasileira (B3), o Nubank abre seu capital para captar recursos e receber novos investidores, de modo a viabilizar novos projetos que a empresa almeja.

Com a entrada na bolsa, aproximadamente 815 mil pessoas investiram em BDRs do banco, tornado assim um dos maiores IPOs do mundo em termos de número de investidores, sendo também no Brasil a maior IPO em investidores de varejo. Aproximadamente 7,5 milhões de pessoas aceitaram um BDR sem custos pelo NuSócios, programa de educação financeira com potencial de trazer para a Bolsa muitos brasileiros que atualmente são cliente do Nubank. Fato é que antes de estrear, o Nubank ofereceu aos seus clientes “pedacinhos” da companhia por meio dos BDRs, oferta essa parte da estratégia que pode atrair milhões de clientes do banco para a sua corretora chamada Nu Invest. A empresa estava preparada para distribuir até 18,3 milhões de BRDs para seus clientes bancários e ainda que não tenha conseguido distribuir tudo, essa adesão deve atrair mais gente para negociações na bolsa.

Com IPO, banco digital passa a ter valor de mercado de US$ 41,5 bilhões, superando o Itaú Unibanco e agora atrás apenas das empresas Petrobras, Vale e Ambev. A oferta inicial de ações (na sigla inglês, IPO) do Nubank levantou U$ 2,6 bilhões na oferta base de abertura de capital, precificando as ações do banco em US$ 9 por papel.

As ações do Nubank dispararam mais de 35% (US$ 12,17) no primeiro dia de negociações. Depois do leilão que durou algumas horas, encerrou em alta de 14,3%, cotado a US$ 10,31, ante ao que foi fixado na oferta pública inicial. Os BDRs (recibos de ações estrangeiras negociados na bolsa brasileira) estão disponíveis para negociação na B3, sendo que cada BDR representa 1/6 de uma ação. Os tickers de negociação dos papéis são NU, na Nyse e NUBR33, na B3.

Como tudo começou

Fundado em 6 de maio de 2013, por David Vélez Vagner S. Teves Jr., empreendedor colombiano que morava em São Paulo, a história começa com a péssima experiência que seu fundador teve com os bancos tradicionais brasileiros, como Itaú, Banco do Brasil e Santander. Não somente por conta das altas taxas cobradas por qualquer tipo de serviço, mas pelo atendimento e alta burocracia para coisas simples. Desse modo, juntamente com David Vélez, Edward Wible e Cristina Junqueira surge o Nubank, uma das principais startups brasileiras.

Com os aportes financeiros recebidos mais funções foram sendo adicionadas com o passar do tempo. Um banco digital sem tarifas, com um cartão de crédito sem anuidade e atendimento facilitado por meio do aplicativo. Em 2016 o Nubank alcançou mais de 8 milhões de pedidos de cartão de crédito, e ainda neste ano foi avaliada em US$ 4 bilhões, levando-a a categoria de unicórnio. Em 2019 surge a NuCommunity, comunidade onde as pessoas trocam informações sobre o serviços oferecidos pela empresa e também recebem dicas para vida financeira.

O Nubank surge a partir com a proposta de oferecer um banco de interface transparente, visando oferecer ao cliente uma nova experiência diferente dos bancos físicos tradicionais, como:

Nos bancos tradicionais você necessita de horas, no Nubank as soluções são práticas;

Nos outros bancos os clientes podem não perceber um atendimento personalizado, no Nubank você pode receber através de um atendimento virtual;

Em outros bancos o serviço de atendimento ao cliente é terceirizado, no Nubank você é recebido por uma equipe de atendimento interna.

Essa cultura de foco no cliente contribui significativamente para que a empresa colhesse os frutos positivos como podemos ver hoje.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.