Correção PET 9ºano semana 6 – Volume 2 – 2021 – Língua Portuguesa

O editorial é um gênero discursivo que tem a finalidade de manifestar a opinião de um jornal (ou
algum órgão da imprensa) sobre acontecimento importante, geralmente polêmico, no cenário nacional ou internacional. Não é assinado [normalmente], porque não deve ser associado a um ponto
de vista individual.
ABAURRE, Maria Luiza M.; ABAURRE, Maria Bernadete M. Produção de texto: interlocução e gêneros. 2. ed. São Paulo:
Moderna, 2015.

No decorrer deste plano de estudo, vimos que a ideia do “Foram felizes para sempre”
ainda está muitopresente no imaginário das pessoas. Para concluirmos deste volume,
vamos realizar a leitura de umeditorial que foi publicado na revista Mente e Cérebro. Ao
ler e analisar o texto, procure identificar as questões em discussão e refletir sobre a forma
como elas são apresentadas.
Felizes para sempre? Quem dera…
Em tempos de tão pouca tolerância consigo mesmo e com os outros, manter
relacionamentos amoro-sos duradouros e felizes parece um dos objetivos mais almejados
entre pessoas de variadas classes so- ciais e faixas etárias. Fazer boas escolhas,
entretanto, não é tarefa fácil – haja vista o grande número derelações que termina, não
raro, de maneira dolorosa – pelo menos para um dos envolvidos. Para nossosavós o
casamento e sua manutenção, quaisquer que fossem as penas e os sacrifícios atrelados
a eles, era um destino quase certo e com pouca possibilidade de manobra. Hoje,
entretanto, convivemos coma dádiva (que por vezes se torna um ônus) de escolher se
queremos ou não estar com alguém.
Um dos pesos que nos impõe a vida líquida (repleta de relações igualmente líquidas,
efêmeras), comoescreve o sociólogo Zygmunt Bauman, é a possibilidade de tomarmos
decisões (e arcar com elas). Fi-lhos ou dependência econômica já não prendem homens
e mulheres uns aos outros, e cada vez maisnos resta descobrir onde moram, de fato,
nossos desejos. E não falo aqui do desejo sexual, embora seja um aspecto a ser
considerado, mas do que realmente ansiamos, aspiramos para nossa vida. Mas paraisso
é preciso, primeiro, localizar quais são nossas faltas. E nos relacionamentos a dois elas
parecemecoar por todos os cantos.
O sociólogo polaco Zygmunt Bauman, nascido em 1925, é considerado um dos grandes pensa- dores
do século XX. Entre os estudos que ele realiza está a investigação sobre as sociedadesocidentais
do período pós-guerras. Ele é o autor da noção de “sociedade líquida”, por oposiçãoa “sociedade
sólida”. Em seu livro Modernidade líquida, ele afirma que uma sociedade sólida é aquela em que as
estruturas da organização social são construídas com base na coletividadee no bem comum; já a
“sociedade líquida” é aquela em que as estruturas são baseadas em re- lações individuais, marcadas
pelo consumo, com indivíduos focados na busca pela liberdade e pelo prazer individuais. As
sociedades ocidentais do período pós-guerras seriam, segundo ele,sociedades líquidas. Assim, ele
entende que uma vida líquida é aquela orientada pela busca doprazer efêmero.
FONTE: Reprodução/www.fronteiras.com/entrevistas/zygmunt-bauman-a-educacao-deve-ser-pensada-durante-a-vidainteira

Dividir corpos, planos, sonhos, experiências, espaços físicos e talvez o mais precioso, o próprio tempo,
acorda nos seres humanos sentimentos complexos e contraditórios. Passados os primeiros 18 ou 24
meses da paixão intensa (um período de maciças projeções), nos quais a criatura amada parece funcionar como bálsamo às nossas dores mais inusitadas, passamos a ver o parceiro como ele realmente é:
um outro. E essa alteridade às vezes agride, como se ele (ou ela)fosse diferente de nós apenas para nos
irritar. Surge então a dúvida, nem sempre formulada: continuar ou desistir?
Nesta edição, especialistas recorrem a inúmeros estudos sobre relacionamento afetivo para confirmar
algo que, intuitivamente, a maioria de nós já sabe: 1. nada melhor que dividir alegrias com quem amamos (afinal, de que adianta estar junto se não é para ser bom?); 2. educação e aquelas palavrinhas mágicas (obrigado, por favor, desculpe) fazem bem em qualquer circunstância, principalmente se acompanhadas da verdadeira gratidão pelos pequenos gestos da pessoa com quem convivemos; 3. intimidade não vem pronta, é conquistada a cada dia, quando partilhamos nossos medos, segredos e dúvidas; 4.
é possível aprender a agir de forma mais generosa consigo mesmo e com nosso companheiro, e essa
postura ajuda a preservar o carinho, a admiração e o amor. Óbvio? Nem tanto… Se fosse, não haveria
tanta gente em busca da felicidade conjugal…
Boa leitura.
Gláucia Leal, editora
glaucialeal@duettoeditorial.com.br
FELIZES para sempre? Quem dera… Disponível em Mente e Cérebro. São Paulo: Duetto Editorial, fev. 2010. p. 3.

Agora que você leu o editorial, seguem as questões para serem respondidas.

  1. Qual é a tese defendida no texto lido, ou seja, a opinião da editora da revista
    sobre o problemaapresentado?
    A tese é a de que, diferente do passado, na atualidade as pessoas podem
    dicidir a qualquer momento continuar ou terminar suas relações, como a
    multiplicação relacionamentos curtos e superficiais, já que a intimidade se
    constrói com o tempo.
  2. Segundo a editora, escolher se queremos ou não estar com alguém pode ser uma
    coisa benéficaou uma dificuldade. Por quê?
    As duas coisas, pois o poder da escolha permite que não fiquemos em
    relacionamentos infelizes, mas também existe a possibilidade de não darmos
    tempo para que a relação ganhe força e a intimidade seja construída.
  3. Quais fatores, de acordo com a editora da revista, podem levar as pessoas a
    decidirem se querem manter ou romper um relacionamento amoroso?
    A decisão de continuar ou desistir vai depender de quatro fatores:
    1- Ambos estão dividindo alegrias um com o outro?
    2- Existe educação e gratidão na relação?
    3- Já deram tempo suficientes à relação para construir intmidades?
    4- Existe generosiadade, carinho e admiração no relacionamento
  4. As reticências são usadas seguidamente no parágrafo final do texto. Levante
    hipóteses: Quais ospossíveis sentidos desse sinal de pontuação no trecho?
    As reticências passam a ideia de que o assunto não está encerrado, pois se
    trata de um tema muito complexo e sensível, com muitas variáveis e,
    portanto, necessita de uma permanebte discussão, reflexão, uma vez que o
    que parece certo agora, pode mudar no futuro ou dependendo das
    circunstâncias do relacionamento.
    não vem pronta, é conquistada a cada dia, quando partilhamos nossos medos, segredos e dúvidas; 4.
    é possível aprender a agir de forma mais generosa consigo mesmo e com nosso companheiro, e essa
    postura ajuda a preservar o carinho, a admiração e o amor. Óbvio? Nem tanto… Se fosse, não haveria
    tanta gente em busca da felicidade conjugal…
    Boa leitura.
    Gláucia Leal, editora
    glaucialeal@duettoeditorial.com.br
    FELIZES para sempre? Quem dera… Disponível em Mente e Cérebro. São Paulo: Duetto Editorial, fev. 2010. p. 3.
  5. A editora apresenta argumentos demonstrando que o que sustenta a felicidade
    conjugal não éalgo tão óbvio. Você concorda com os argumentos dela? Justifique sua
    resposta.
    Concordo, pois as pessoas, seus contextos sociais, históricos emocionais são
    diferentes e complexos demais, portanto seus relacionamentos também são
    complexos, não sendo possível encaixar todas as relações dentro de uma única
    fórmula de perfeição.
  6. (DECIFRANDO TEXTOS E CONTEXTOS – 2016) Sobre o gênero textual editorial é correto
    afirmar:
    a) O editorial pode ser escrito por qualquer cidadão que queira manifestar a sua
    opinião sobrealgum assunto.
    b) O editorial expõe fatos e informações recentes com o objetivo de deixar os
    leitores informa-dos sobre os últimos acontecimentos.
    c) Oeditorial representa aopiniãoda empresa jornalística sobre algum
    assunto empautanomo-mento.
    d) O editorial informa a população sobre pesquisas recentes que explicam
    problemas que estãoafetando a sociedade.
    e) O editorial expõe a opinião coletiva de determinados grupos da sociedade
    sobre problemaspolíticos e sociais.
    DESPEDIDA
    Querido (a) estudante!
    A chave para seu sucesso é continuar fazendo de novo e de novo aquilo que pensou, idealizou e
    tentou.
    Como disse o líder pacifista indiano Mahatma Gandhi, é preciso manter em nossas
    mentes palavras positivas, pois elas se tornam nossas atitudes e é necessário manter
    nossas atitudes positivas, porqueelas se tornam nossos hábitos.
    Continue se cuidando!

REFERÊNCIAS
FARACO, Carlos Emílio; MOURA, Francisco Marto de; MARUXO JR., José Hamilton. Língua portuguesa: linguagem e interação. Vol. 1, 3. ed. São Paulo: Ática, 2016.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.